Império de Nossa Senhora da Vitória

Festa com 103 anos
País: Portugal
Região: Açores
Local: Graciosa
Concelho: S. C. da Graciosa
Freguesia: Guadalupe
Morada: Beira Mar da Vitória, Guadalupe, 9880-013 Santa Cruz da Graciosa
Ano da Fundação: 1918
Festa proposta por:
Nome: Junta de Freguesia de Guadalupe
E-mail: freguesiaguadalupe@sapo.pt

O Império de Nossa Senhora da Vitória, da freguesia de Guadalupe, Concelho de Santa Cruz, Graciosa, foi fundado no ano de 1918. Trata-se de um dos impérios mais pequenos da ilha Graciosa. Tem apenas uma porta e está desprovido de janelas.

A festa do Divino Espírito Santo deste império é efetuada ano sim, ano não, uma vez que alterna com a promovida pelo império de Santo António da Vitória, ou seja, nesta aldeia existem dois impérios e cada ano, pelo Pentecostes, apenas tem lugar a realização de um bodo.

Este império, como os demais existentes na freguesia, celebra a Festa do Espírito Santo nos sete domingos a seguir à Páscoa, com destaque para o denominado domingo de Pentecostes, domingo do Espírito Santo, que apenas tem lugar bienalmente.

Nos domingos seguintes à Páscoa, e até ao dia de Pentecostes, o Espírito Santo vai para casa dos irmãos que foram comtemplados com as domingas sorteadas no ano anterior. Durante a semana é rezado e, por vezes, cantado o terço. No domingo, realiza-se o cortejo do Espírito Santo para a Igreja, onde é celebrada a missa de festa e a coroação de uma criança.

Terminado este ato litúrgico, o préstito do Espírito Santo regressa a casa da família promotora da coroação, a qual, geralmente, oferece um lanche aos convidados. Por vezes, há almoço para todos, caso a família tenha posses para tal. Nos domingos seguintes, volta a acontecer o mesmo nas casas das famílias a quem lhes coube em sorte as restantes domingas.

No domingo da festa, ou seja, no dia de Pentecostes, a comemoração deste culto ancestral é maior. Assim, os mordomos, os irmãos do império, as suas famílias e os convidados levam à Igreja os símbolos do Divino em cortejo acompanhado pela filarmónica. Ali é celebrada a missa de festa e são coroadas as crianças. Após a missa, é oferecido um almoço composto de várias iguarias, no qual não faltam as tradicionais sopas do Espírito Santo, carne cozida e assada, o arroz doce com massa sovada, vinho e sumos.

Neste dia, da parte da tarde, procede-se à distribuição do bodo, oferta de rosquilhas, confecionadas com farinha de trigo e amassadas com leite, vinho e alguns petiscos. Há também arraial e arrematações das ofertas dos irmãos, que revertem a favor do império. Ainda, neste dia à noite, no império, são tiradas as sortes/pelouros que ditarão quem serão os irmãos e o mordomo que cumprirão as domingas no ano seguinte. 


Enviar
Este site utiliza cookies para permitir uma melhor experiência por parte do utilizador. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização. OK